quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Red Bull... Quê?

De repente somos invadidos por uma febre aérea que mete nojo.
Anos sem se falar em nada e de repente todos percenbem de aviões e manobras...!
Pensando nas centenas de milhares de pessoas que vão invadir a cidade, só me ocorre um pensamento...
Cerca de 99,9% estará ali a apanhar um escaldão, e olhar para o céu e sem perceber a ponta de um corno do que ali se está a passar. Mas pronto, saem sempre fotos giras para o facebook!


! ! ! . . . BOAS PEDALADAS . . . ! ! ! 

sábado, 26 de agosto de 2017

Stand up paddle

É certo que o ciclismo nos proporciona momentos e paisagens únicas. Mas o problema é que estaremos sempre sozinhos... Ou quase. Horas e horas a fio em cima de um selim, e por vezes encontramos algo que, numa manhã, nos deixa de alma cheia. E foi o que aconteceu hoje em Amarante. Fui experimentar o stand up paddle com um grupo de amigos. No início é o que imaginam, mas depois de entendermos a "mecânica da coisa", é um prazer enorme.
Mas se contente estava nesta pequena descoberta, de coração cheio fiquei quando, a muito custo, a Martinha lá decidiu aceitar o convite do pai e acompanhar-me nes nossa odisséia no Tâmega.
Acreditem... AMEI O MOMENTO.
E se fiquei contente ao vê-la ali comigo, orgulhoso então quando a vi Tâmega acima, montada numa prancha sozinha.
O tempo passa rápido, rápido demais se calhar.
Vamos aproveita-lo o mais que podermos!
A vocês os dois, Luli e Rui, agradeço do fundo do coração (que romântico) a excelente manhã que proporcionaram há família Frinxas. Adoramos a experiência e prometemos repetir sem dúvida!

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Anatomia do empenado


Já não me lembrava que tinha músculos na zona das canelas também.
Coisas do atletismo.

Por acaso não existe a versão half- São Silvestre?

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Objectivo... São Silvestre

O ciclismo é e sempre será um desporto solitário. Refiro-me a esta solidão na questão familiar claro.
Volta e meia pensamos nas horas que "perdemos" sem estar com "os nossos"! Os 40's aparecem e atrás deles veio um tal de Francisco. Resumindo, ficamos uns conas moles.
Sendo eu um "bicho do desporto", andei dias a fio a tentar conciliar uma coisa com a outra, o que nem sempre é facil. Um dia enquanto assistia na televisão a uma prova de atletismo, lembrei-me do tempo em que dei umas corridas... Ou caminhadas rápidas eu sei. De repente fez-se luz.
Falando com a minha herdeira mais nova, e propus-lhe o desafio de, até dezembro, darmos umas corridas e concretizarmos os dois a corrida de São Silvestre realizada aqui em Ermesinde. Para meu espanto, ela aceitou rapidamente. Se por um lado fiquei contente, por outro fiquei a pensar que aquela rápida resposta não seria para colmatar o "nosso tempo perdido". Confesso que esperava ter mais luta na resposta positiva.
Farto de ter constantemente a "cabeça a prémio" no meio dos pedais, acho que está na hora de relaxar um bocado até deixar a poeira assentar. Enquanto isso não acontece, vou-me armar em keniano com a Martinha. E esta hein?
Fica aqui, para memória futura, o registo na nossa "corrida" de hoje.
Daqui a 8 dias, se ela continuar com estes treinos de alto rendimento, volto a colocar algo de maneira que se vá vendo a nossa evolução.

Acharam estranho a Martinha aceitar algum desafio relacionado com um desporto que não a sua amada dança? Pois... Pasmem-se. Tivemos uma companhia de peso. A Joana, minha irmãzinha, decidiu finalmente começar a fazer algo a nível desportivo. Confesso que não a estou a ver a correr em algum evento, contudo vê-la nestas lides dá-me um certo gozo. Demorou um bocado (37 anos), se calhar um bocado demais até se lembrar que afinal isto faz falta, mas com o tempo "a coisa" lá vai.
Até lá....

! ! ! . . . BOAS PEDALADAS . . . ! ! ! 

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Bike to work

É bom estar 1 mês e meio em casa, mas é melhor ainda, principalmente nos dias de hoje, que temos sempre um trabalho que espera por nós.
E assim foi, um mês e meio depois a finlandesa de volta ao meio do trânsito.
! ! ! . . . BOAS PEDALADAS . . . ! ! !

terça-feira, 15 de agosto de 2017

HUM...

Chamam-lhes estratoféricos...
Chamam-lhes nucleares...
Dizem-lhes que são protour...
Enfim, todas as suspeitas do costume.
O que acho estranho não são as insinuações, mas feitas por alguém de direito e sempre sempre sempre sem usar nomes. É feio, muito feio. Apenas alimenta estes filmes.
Comparar alguém a um escalão muito acima jé e bom, mas sabendo o que fazem eles desde pequenos e sabendo o que fazem os nossos quando não estão a pedalar... É suspeito claro.
Teorias da conspiração ou não, eles lá vão ganhar mais uma Volta logo.
! ! ! . . . BOAS PEDALADAS . . . ! ! !

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

DIOGO SÁ

Por vezes pomos em causa a Sua própria existência.
A vida é mesmo puta.

DESCANSA EM PAZ DIOGO

Mais um "viciado"...

Desde que trabalho naquela empresa, sou visto como o maluco ou alternativo só porque... Vou de bike para a empresa. Com o tempo as coisas, mentalidades e melhor ainda, os vícios vão mudando.
A continuar assim, não tarda teremos uma equipa em número suficiente para um escalão ProTour mesmo.
Desta vez foi o Cidade. A muito custo e indecisão, lá decidiu adquirir por meia dúzia de euros uma bike para começar a, segundo ele, praticar desporto.
A precisar de uma ou outra coisa, lá lhe fiz o favor de a mimar um bocado e deixa-la pronta a... Ficar parada na marquize!
 Por €49 deixados na PEDALAR BIKESHOP, teríamos o material sificiente para a deixar "top" e pronta a lixar-lhe aquelas pernas. Peça importantíssima para ele, era o conta-quilómetros, pois era uma maneira de ele provar o que estava a andar... UAU

 A idéia dele seria comprar algo melhor, mas ao mesmo tempo não sabia... E já sabia de novo... E voltava a não saber....! E pronto, entrei em acção.
"Olha lá pá, para quê que vais gastar tanto dinheiro para haver riscos de ficar parado? Compras uma cena mais barata primeiro, deixamo-la pronta e no futuro irás gastar uma pequena fortuna na próxima"!
Ele, assim como todos, riu-se. Dei de exemplo o Paulo. Motorista e alguém que, andando na estrada teria que detestar os ciclistas claro. Passaram-se os (poucos...) anos e o Paulo só já não adquiriu uma em carbono como até já foi a Fátima também. Curioso, certo?


 No meu entender a bike estava um pouco azul demais. Preferia um vermelho BENFICA claro, mas gostos não se discutem claro.
Sei que muito ao olharem para a foto irão pensar... "QUE PUTO DE GALHEIRO"!... E é verdade de facto. Mas uma coisa vos digo, conheço um tipo (Pedro Moço) que com uma exactamente igual, faz milhares de quilómetros por anos, e melhor ainda.... DIVERTE-SE COM AQUILO.
E esta, HEIN?!?


 Importante quando adquirimos uma bicicleta, seja ela de ferro, carbono, titânio ou lá o que for, é gostarmos dela e melhor de tudo, que a disfrutemos ao máximo dos máximos, certo? 
Não adianta começarmos com um FERRARI se ele depois vai ficar parado na garagem, e ficar a desvalorizar-se todo. A bike tem que ser adquirida consoante as nossas capacidades financeiras, e também mediante a nossa maneira de estar no ciclismo como desporto/lazer.


Resumindo... Um destes dias iremos ver aqui um novo "post" acerca do Cidade, todo contente, e já equipado com uma excelente máquina toda ela equipada com tudo aquilo que gostamos... Ou não.
Só o tempo o dirá. E até lá Fernando...

 ! ! ! . . . BOAS PEDALADAS . . . ! ! !

domingo, 13 de agosto de 2017

Declaração de independência

Um destes dias, numa das famosas tertúlias de sábado cá em casa, debateu-se o tema das redes sociais. Depressa o tema foi para o tema das "redes sociais" desportivas claro.
A meio da prosa um deles diz que "daqui a pouco vamos cagar e levamos o Garmin pá cagadeira"!

 Rimo-nos, pois a pessoa em causa é das poucas que ainda faz questão de nem ter facebook, nem tão pouco algum aparelho de gps enquanto pedala.
Se aqui há uns meses larguei o STRAVA pelas razões que expliquei, lá fui continuando com o "velhinho" GARMIN.


 Mas uma coisa é certa, fiquei a pensar naquele sábado por uns dias, e esta semana, a muito custo, saí toda a semana de casa sem nenhum aparelho de navegação na bike.
Se para alguns parece estranho, e para outros parecerá impensável, acreditem que impensável é o que andamos a fazer estes últimos anos...


... Em que vivemos mais de números e cálcuos matemáticos do que realmente aquilo que deveríamos estar a fazer, que é nem mais nem menos do que conviver e claro, PEDALAR!
Sei que isto destas redes socais desportivas atingiu tamanho patamar da estupidez, muito por causa do STRAVA, mas confesso que está a ser um pouco demais já.
Bem, e dito isto...

! ! ! . . . BOAS PEDALADAS . . . ! ! ! 

sábado, 12 de agosto de 2017

Etapa da Volta

Nestes 20 anos que me desloco até ao Monte parinha para ver o final da etapa da Volta a Portugal, nunca vi um ano em que as estradas estivessem tão desertas.
Dizem as "más línguas" que é melhor para a organização. Bem, acredito que seja, mas por essa ideia na próxima organizem no Velódromo de Sangalhos. Aí sim, ...!
Mas se no Monte Farinha estava deserto, o mesmo não se pode dizer da Sra da Assunção hoje...
 Estava ao rubro. As bicicletas eram ás dezenas desde o momento em que parti de Ermesinde até lá.
E se pela N105 fora o movimento era muito, na subida fazíamos fila, tal era o némero de ciclistas por ali acima, sempre com médias estonteantes.
 Não estava nos meus planos fazer aquilo, mas o meu amigo Queiroz fez questão de vir desde o Marco de Canaveses até cá a casa para me obrigar a lá ir. E como devem imaginar, com muito custo claro, lá peguei no Moço e lá fomos nós estrada fora.

 Foi uma tarde bem passada, bem quente e barulhenta. Que sirva de exemplo (já sei que eles cagam para isso...) á organização para uma etapa na Sra da Graça digna do local.
Assim o merece!
 ! ! ! . . . BOAS PEDALADAS . . . ! ! !